Ocorreu um erro neste gadget

sexta-feira, 14 de novembro de 2008

Termos Integrantes de uma Oração

Integrantes são os termos que integram o sentido da oração, funcionando como complementos sem os quais a mensagem não chega a se finalizar. Dividem-se em complementos verbais (objeto direto e indireto) e complemento nominal.

Objeto Direto é o termo que completa o sentido do verbo, sem preposição obrigatória. Já o Objeto Indireto é o complemento do verbo que usa necessariamente uma preposição. Vejamos o quadro de transição do verbo para seu complemento:

A transição do verbo AMAR para MARIA é direta; verifica-se o oposto no segundo exemplo, onde a preposição DE impede a passagem direta do verbo para seu complemento. No caso, MARIA é objeto direto e DE MARIA é objeto indireto, variando a função conforme a natureza sintática do verbo.

Há verbos que exigem, simultaneamente, dois complementos:


Assim, pode-se seguir o modelo:


SUJEITO
VBT
OD
OI

Eles
doaram
bens
aos pobres.

Ninguém
enviou
flores
ao morto.

Todos
exigem
seriedade
do governo.

(Oculto)
Emprestei
meus livros
aos estudantes.

(Indeterminado)
Mandaram
ameaças
para o líder sindical.


Já o complemento nominal é mais complexo porque também vem regido de preposição, e pode ser confundido com o objeto indireto. O aluno, porém, deve saber que só há objeto indireto onde há verbo transitivo indireto. E não é obrigado haver verbo transitivo indireto para haver complemento nominal. Vejamos um exemplo:


“DO CACHORRO” é complemento nominal porque é complemento de “medo”, e não do verbo TER. Substantivos abstratos como PAVOR, ÓDIO, INVEJA, MEDO, HORROR, freqüentemente exigem complementos nominais, pois em muitas orações não têm sentido completo, precisando assim de um termo que dê continuidade à sua mensagem:


a) Os antigos helênicos tinham horror AOS BÁRBAROS.
b) Quantos incompetentes não têm inveja DOS SÁBIOS?
c) Quem explica o ódio hitlerista AOS JUDEUS?
d) A Inquisição manifestava pavor AO PROGRESSO.

Mas o complemento nominal pode assumir outras formas, como no caso em que completa o sentido de um nome derivado de um verbo transitivo:

a) A preservação DA AMAZÔNIA trará felicidade ao mundo.
b) A explicação DOS FATOS não foi aceita pelo juiz.
c) Permanecem obscuras as causas do assassinato DE KENNEDY.
d) Os americanos recusam a negociação DA DÍVIDA EXTERNA.

Todos os termos em destaque completam substantivos que provêm de verbos que exigem complemento:


PRESERVAÇÃO
EXPLICAÇÃO
ASSASSINATO
NEGOCIAÇÃO DA AMAZÔNIA
DOS FATOS
DE KENNEDY
DA DÍVIDA EXTERNA
Nome
Complemento Nominal

PRESERVAR
EXPLICAR
ASSASSINAR
NEGOCIAR A AMAZÔNIA
OS FATOS
KENNEDY
A DÍVIDA EXTERNA
Verbo Transitivo Direto
Objeto Direto (Complemento Verbal)


Também se acrescenta aos termos integrantes o AGENTE DA PASSIVA, que pratica a ação verbal quando o sujeito está na voz passiva:


a) O povo foi iludido PELOS DEMAGOGOS.
b) Os escravos rebeldes eram crucificados PELOS ROMANOS.
c) O Brasil ainda será torturado PELOS MILITARES?

Termos Acessórios de uma Oração
Acessórios são os termos secundários, que não integram necessariamente a estrutura básica da oração. Dividem-se em adjunto adnominal, adjunto adverbial e aposto.

Adjunto Adnominal é um termo que exerce a função adjetiva, uma vez que serve para especificar, restringir ou qualificar um nome, particularizando-lhe o sentido:

a) As crianças DO BRASIL merecem assistência do governo.
b) Índios BRASILEIROS continuam sendo exterminados.\
c) A crise DO SOCIALISMO espalhou-se pelo mundo.
d) TODOS OS livros CRÍTICOS sofrem ameaças PERIGOSAS.

Adjunto Adverbial é o termo que expressa circunstâncias de modo, tempo, lugar, dúvida, intensidade, meio, finalidade, concessão, causa, companhia etc.. Correspondente ao advérbio, modifica o sentido de um verbo, um adjetivo ou mesmo de um advérbio:

a) Os camponeses pobres morrer de FOME. (adjunto adverbial de causa)
b) TALVEZ ninguém consiga seus objetivos. (adjunto adverbial de dúvida)
c) "NÃO nos deixeis cair em tentação." (adjunto adverbial de negação)
d) Dias Gomes escreveu peças políticas NOS ANOS 70. (adjunto adverbial de tempo)
e) "Bendita sois vós ENTRE AS MULHERES." (adjunto adverbial de LUGAR)
f) Saí ontem à noite COM A LOURINHA DE OLHOS AZUIS. (adj. adverbial de companhia)
g) Cortamos as árvores A FACA. (adjunto adverbial de instrumento)
h) Todos foram DE ÔNIBUS ao comício. (adjunto adverbial de meio)
i) Quasímodo era feio DEMAIS. (adjunto adverbial de intensidade)
j) Compre livros instrutivos PARA LEITURAS PRÓSPERAS. (adj. adverbial de finalidade)
k) Aconselhou INUTILMENTE a filha mais nova. (adjunto adverbial de modo)

Já o Aposto tem a função de esclarecer, identificar ou resumir um termo que lhe é anterior:

a) Salvador Dali, PINTOR ESPANHOL, imortalizou o Surrealismo.
b) O escritor ANTONIO CALLADO escreveu romances pós-modernos.
c) Napoleão, Hitler, Stálin, TODOS viraram pó.

1ª Obs. Uma mesma oração pode conter diversos apostos, a depender de sua complexidade:

2ª Obs. É preciso não confundir o vocativo com o aposto, uma vez que o vocativo tem uma função apelativa, apesar de assemelhar-se ao aposto pelas pausas e pelas vírgulas.

Termos Essenciais

Predicado é o termo essencial da oração que constitui a parte da enunciação referente ao sujeito. É a parte da oração que contém os verbos referentes ao sujeito. Os predicados podem se apresentar como: predicados nominais (têm um nome como núcleo de significação), predicados verbais (têm um verbo como núcleo central de significação) e predicados verbo-nominais (composto por verbos e nomes como núcleos significativos).

Predicado Nominal

Predicado nominal é o predicado que apresenta um nome como núcleo significativo. Os predicados nominais são formados com a presença de um verbo de ligação mais um predicativo.

Exemplos:
Ele está só, Os dias permanecem os mesmos;
Ficamos muito bem por aqui;
Isto parece uma grande mentira.

Predicado Verbal

Predicado verbal é o predicado que apresenta um verbo como núcleo significativo. Os predicados verbais são formados com a presença de verbos transitivos e intransitivos.

Exemplos:
O escritor criou seu universo fictício;
João deu asas à imaginação;
Assim que o trem parou, os passageiros desceram.

Predicado Verbo-Nominal

Predicado verbo-nominal é o predicado que apresenta um verbo e um predicativo como núcleos de significação.

Exemplos:
Magda abriu o pacote, surpresa;
E então, o rapaz perguntou ao mestre, aflito.

Predicativo do Objeto

Predicativo do objeto é um agente modificador do objeto. Esse predicativo ocorre apenas nos predicados verbo-nominais.

Exemplos: Os incidentes constantes o tornaram insensível;
Encontraram a criança fatigada e triste.

Sujeito

Sujeito

É o termo da oração do qual se declara alguma coisa.
Exemplo: No céu, um sol claro anuncia o verão.

Características do Sujeito:

I. Pode ser identificado através da pergunta "quem é que"... (ou "que é que"...), feita antes do verbo da oração
Que(m) é que + verbo? __ Resposta=sujeito
II. É substituível por ele(s), ela(s)
III. O verbo concorda com o sujeito.

Classificação do sujeito:

I. Simples: tem um único núcleo.
Exemplo: O velho navio aproximava-se do cais.

II. Composto: tem dois ou mais núcleos
Exemplo: As ruas e as praças estão vazias.

III. Oculto, elíptico ou desinencial: o sujeito pode ser identificado pela desinência do verbo ou pelo contexto em que aparece.
Exemplo: Voltarás para casa (sujeito: tu)

IV. Indeterminado: Quando não é possível determinar o sujeito. Com verbos na 3ª pessoa do plural sem referência a elemento anterior.
Exemplo: Atualmente, espalham muitos boatos.
Com verbo na 3ª pessoa do singular + se (em orações que não admitem a voz passiva analítica)
Exemplo: Precisou-se de novos professores.

Orações sem sujeito:

I. Verbo haver significando existir, acontecer e indicando tempo passado.
Exemplos:
Aqui já houve grandes festas.
Amanhã faz dez anos que ele partiu.

II. Verbo ser indicando tempo, horas, datas e distâncias.
Exemplo: Agora são cinco e doze da tarde.

III. Verbos indicativos de fenômenos da natureza.
Exemplo: Ontem à tarde, ventou muito aqui.

Nenhum comentário: